RSS Feed

..:: Chuva forte

[foto by pixdaus]


Chove
E a chuva esperada encontra um cenário feio

Na rua de trás, a chuva se mistura ao sangue
O produto das veias de bandidos torna-se lama
O som da chuva dá lugar ao barulho ensurdecedor das rajadas de metralhadoras
A rua da minha rotina tem marcas de balas
Há medo por todos os cantos
E a chuva cai ali

Chove aqui, e eu me transformo em nuvem para chover junto
Chuva forte, intensa, constante
Que simboliza em si toda a minha tristeza
Chovendo por todo o dia, desde um trovão que não partiu de mim
Bastou um som pra vir o que me fez chover assim...

Chove no mar por cima do asfalto
As ondas virtuais batem com força
E o barquinho que parecia crescer é balançado
Arrebatado em uma onda forte
Aquele que no início confiou tanto que se dispôs a remar junto
(aquele que já está sumido)
Esse dá sinal de que vai deixar o barco
Não há julgamentos, não há culpas, não há forças
Esse barco ameaça se perder
E os que o comandam voltam a ter a dúvida do parar

Há medo por todos os cantos
Ah, como a chuva forte nos deixa sem destino!
Raios riscam o céu e os trovões me amedrontam

Só faço chover junto
Mesmo que no barco haja uma nova tripulante
Mesmo havendo um novo perfume
Mesmo que o coração esteja aberto para o melhor
Mesmo sabendo que o que sai de mim é bom
Mesmo assim não consigo impedir o meu chover

Oh, meu Deus, venha ser o meu farol!

Eu que gosto tanto da chuva
Desta vez me perco em suas nuances cruéis
Lembranças boas e um bom vento de futuro
Nem isso impede que os trovões me amedrontem
E esse chover que não cansa
Que não se esgota em mim

Resta-me saber o resultado dessa chuva:
se será lama
ou o regar para um novo florescer
Lathife Cordeiro

12 registraram seu vôo por aqui:

acqua disse...

A rua da minha rotina tem marcas de bala. Uau...
Gostei da intensidade do poema que ficou na pele e no avesso dos olhos. As propriedades parecem grafar na pele uma forma de dor, de medo e receio de forma tão intensa. Belo poema, uma escultura de palavras...

Luciana Andrade disse...

Ah bela, se o barco é abandonado nos resta remar sós...Mas garanto que fará grandes descobertas remando sozinha...
Beijos meus

Bianca Pyl disse...

regar para um novo florescer, moça!
belas linhas

Janaina disse...

Ai que coisa linda... é muito altruísmo.

Quanto ao selinho, é só copiar e colar. Eu peguei na página da Fenaj.

Beeeijos!!

lyani disse...

Muito belo o seu poema. Lindíssimo, parabéns pelas palavras!
Bjosss

Márcia(clarinha) disse...

"Chove aqui, e eu me transformo em nuvem para chover junto"
........
Querida flor, aplaudo seu belíssimo texto.

lindo final de semana
beijos

Nathália disse...

Desejo tanto que seja a segunda opção.

Da Silva disse...

Mas é da Lama que surge a vida.

"O ouro afunda no mar
Madeira fica por cima
Ostras nascem no lodo
gerando pérolas lindas..."

"O Ouro e a Madeira"
Délcio Carvalho

dirciana carvalho disse...

Não e um texto de uma jornalista,e a percepção aguçada de uma menina que se faz chover não pra se misturar ao sangue,mas pra florescer.Flor do dia obrigada por colorir meu jardim com a sua docura seu coloridso,não da chuva mais do arco-iris quwe mora em ti .
Bjusssssssssssssss
Adoroooooooooooo!!!
Dircy

Su disse...

Que intenso! Uma chuva forte que deixa marcas, que lava, que transforma. Uma mistura de águas calmas e tempestuosas!!
Que delícia de poema!!!
Beijos

Mariah disse...

a chuva pinta o vidro e impede a visão.
molha os cabelos e a barra das calças.
esconde os buracos da rua.
leva o barro do alto até embaixo.
carrega a poeira.
prende a gente do lado de dentro da vidraça...pra que a gente fique pensando...pensando na chuva!

beijos
mariah

. fina flor . disse...

querida,

chuva alguma que brote de ti se tornará lama.

as águas que exala colorem o mundo!!!

feliz por você ter voltado a poetar.

ficou lindo.

beijos,

MM.